6 de dez de 2015

Carta a um amigo

A cidade ainda é meio estranha. Não tenho meus amores por perto. sigo trilhando um caminho que nem sei se devo, mas sigo. é errado? Sinto tata falta do meu canto, das minhas pessoas. Já não sou a mesma e ainda canto em casa sozinha, ao som de músicas que tanto gosto e esqueço às vezes.
Minha pele dói. Três anos depois e eu aqui novamente escrevendo sobre uma dor que não consigo descrever. Descrevo como lido com ela e muito mal. Mal escrevo e mal lido.