2 de dez de 2010

tenho trazido comigo todas as minhas malas.
as antigas e as novas.
tudo que tenho acumulado nesses anos estranhos,
pares ou ímpares anda comigo.
não é medo nem apego, é só uma maneira pesada de
lembrar quem sou todos os dias.