30 de abr de 2010

me quebro todos os dias. vou andando e
ouvindo os caquinhos caírem no chão,
como aquela xícara que você bateu a mão sem
querer e ela se espatifou no chão.
me despedaço, me arranho, que sujo e sangro
todos os dias, mas à noite no sono, nos sonhos
tento me colar, me curar, juntar os pedaços.
às vezes funciona. às vezes não.
hoje não.

9 comentários:

Little dreamer disse...

O q dizer ne? Tu é sempre IMPECAVEL!

Pequena Poetiza disse...

o que fazemos com nossos cacos?
alguns simpolismente não dá pra colar de volta
ás vezes precisamos jogar fora e conviver com alguns buracos


tempos que naum vinha aqui...
beijos

Priscila Rôde disse...

o hoje acaba.. graças a Deus!

Mitras disse...

sem pagar pau, já paguei

D. Q. M. disse...

que pena que hoje não funcionou, mas espero que tenha recuperado os cacos de poesia, é sempre triste quando ela se quebra.

Tatiane Trajano disse...

Eu vivo procurando os meus muito pedaços..

Lu disse...

Já dizia Jorge Vercillo: "Entre decadência e elegância ziguezaguear"

Amei!

Beijos.

Niña disse...

e a vida é assim... a gente vai se quebrando, consertando... lindo texto!!


p.s.:tava com saudade desse cantinho : )

bjinhooos

Renata de Aragão Lopes disse...

Sim.
"Hoje não."