31 de dez de 2009

00:01


essa era a hora que o relógio marcava.
a hora mais estranha do mundo.
mais um ano chegando.
iupi!

30 de dez de 2009

eu não quero nem saber.
preciso não saber e me escondo.
vou entrar nas ilhas desconhecidas como
uma criança fugitiva.
ninguém me verá.
então, desaparecerei.

25 de dez de 2009

a gente sobrevive muito bem se.

19 de dez de 2009

sinto as pernas bambearem por algumas horas.
a carne treme intensamente. a cabeça pensa em tudo ao mesmo tempo.
não estou em mim.
não sou eu mesma.
talvez seja uma outra menina,
uma outra alma solitária encostada na minha.

ainda estou deitada olhando pro teto
o mesmo teto de sempre.

i'm a assassin and i had a job to do.

16 de dez de 2009


11 de dez de 2009

Quando não tenho tempo me acho mais burra.
Mais estranha e mais sozinha.
Não ter tempo é muito bom.
A cabeça funciona melhor.
O coração não perde o ritmo, mas quero ter tempo também
pra dedicar às pessoas que eu amo.
Quero ter tempo de sentar no sofá e rir dos
programas de TV com minha mãe. Quero ter tempo de ir num
domingo comprar o jornal com meu pai.
Quero ter tempo de passear sábado à tarde
com um amigo que não vejo há tempos, por causa do tempo.
Quero ter tempo de viajar. Descobrir uma coisa nova em algum livro.
Quero ter tempo de sentar no quintal,
comer uma manga que nem quando eu era criança.
Não sou mais criança, mas quero ter tempo pra ser criança.
O tempo é a gente que inventa e é a gente que dá,
mas eu desaprendi a fazer.

9 de dez de 2009

Detesto aviões.
Eles me lembram a brevidade da vida
e o quanto a gente perde tempo
tendo medo e deixando de ser feliz.

3 de dez de 2009

aprendendo a respirar.