29 de nov de 2009

pulou e girou durante a música inteira.
há muito não fazia isso: girar até ficar tonta.
'era coisa de criança', diriam. e daí?
era a música. era  aquela felicidadezinha que nascia entre os dentes.
era muita coisa. pouca coisa.
era coisa boa. era semente dentro do peito,
que ela cuspia em forma de jujuba.
amor, meu bem.

27 de nov de 2009

Ele sempre viaja quando eu preciso que ele fique.

26 de nov de 2009

Dizem que todas essas coisas que me abalam numa terça
feira é coisa de 'gente de aquário'.
Existe explicação mais sem sentido, por favor?
Acho que é coisa de gente. Gente tipo normal.
Que fica triste quando deveria ficar feliz.

Pode ser inferno astral.

23 de nov de 2009

coração da gente só fica direitinho quando transborda.

19 de nov de 2009

o vento frio que caminha sobre meus poros
vem avisar que o tempo vai mudar.
as formigas com asas entram na sala e fazem muito barulho
só pra me dizer que a hora já está chegando.
e por dentro sinto muitas flores nascendo e crescendo.
e não importa o inverno ou verão, é sempre primavera aqui dentro.

16 de nov de 2009

um pouco cansada, mas passa.

(isso explica a ausência)

14 de nov de 2009

saiu com aquele olhar.
nem mágico nem bonito.
era calmo, talvez.
vestiu a melhor versão de si mesma e foi.
desejou inutilmente  não-estar. e estava.
corpo e mente completamente separados,
reencontrou pessoas. manteve distância do novo.
fingia lindamente que a sua vida era normal.
não se despediu e foi embora em absoluto silêncio.

eleanor rigby a entenderia.

9 de nov de 2009

'quem não tem amor no mundo não vem neste lugar
quem não vê azul profundo não tem mais pra onde olhar
quem tem medo traz no peito o óbulo da precaução
eu trago um anjo nos braços e ouro no coração'

                                        santorini blues,



revolução de verdade pra mim é abrir o peito na direção dos canhões.
ter medo, muito medo, mas mesmo assim não desistir.

5 de nov de 2009

tenho um jeito muito atropelado de amar.
sou desajeitada com o mundo.
tropeço sozinha e me machuco sem saber como.
talvez meu jeito de amar também seja desajeitado,
não sou boa com as palavras e tenho pressa.
ainda bem que ninguém é perfeito,
mas coração, eu sei, é doce.

1 de nov de 2009

andando no meio-fio. tenho oito anos
e sonho em ser equilibrista. em cima de
um cabo de aço. pendendo de um lado pro outro.
podendo cair ou não.
frio na barriga e no peito uma vontade
incontrolável de voar.