23 de ago de 2009

Tem uma menina, sabe? Que em dias de muito frio acorda cansada da vida, cansada de carregar tantas cicatrizes no ventre (é lá que as cicatrizes dos amores antigos aparecem nessa menina) Uns amores tão perdidos hoje dentro dela, mas que já foram coisas quentes e aconchegantes, apesar de doloridos. (sempre assim) E é essa dor que essa menina se nega a carregar de novo por dentro, porque essa dor é mais pesada e mais viva que qualquer cicatriz e sangra nos dias frios.
tinha uma criação de duzentas e oitenta e cinco borboletas na barriga, mas uma a uma elas vão fugindo. e dói.

16 de ago de 2009

insistir. se deve insistir muito quando há amor. mesmo quando dói. e quando não dói. porque desistir é covardia "e arduamente não desistimos"
não consigo respirar

14 de ago de 2009

tinha a nítida sensação de estar dormindo e ao mesmo tempo acordada. (sonho?) Sabia-se viva.

1 de ago de 2009

Saudade: acordar com teu bomdia preguiçoso. me mudar pra debaixo do teu cobertor pra poder passar o frio. tentar te jogar fora da cama pra gente viver lá fora. descobrir que viver ali dentro era melhor que o mundo lá fora. ficar olhando teu sorriso que eu adoro e cutucar cada sinal no teu corpo que eu também adoro.