31 de jan de 2009

me queima as memórias esses dias chuvosos. acordo sentindo o cheiro de dez anos atrás e nem sei mais sei isso é bom. queria o cheiro novo invadindo meu dia às oito da manhã: de cabelo molhado, cheiro de sabonete e um olhar que me deixaria sem jeito.

30 de jan de 2009

previsão é de temporal nessa sexta-feira.
e o temporal que vive dentro de mim há alguns meses?

ninguém quis anunciar o jornal dessa semana.

27 de jan de 2009

aí a gente tem que aprumar o juízo. acalmar as ondas desgovernadas do coração. sentar um bocadinho na beira da calçada e agradecer por tudo que a gente tem. exercício. nunca fugi de nada, nem quero fugir nunca, eu só quero que tu me queira.

24 de jan de 2009

cheiro de baunilha com pêssego. sou eu mesma que espalho esse cheiro pela casa vazia e você diz que ainda quer dançar comigo. engulo seco e entendo que agora as coisas mudaram.
"também quero dançar com você"
Toca minha música preferida e eu me sinto única ali no salão,
tão boba que eu sou.
Eu e minhas unhas vermelho-paixão. Boba.

23 de jan de 2009

pintei as unhas de vermelho mais uma vez. mas dessa vez é só pra ver se colore alguma coisa a mais. e tá tudo querendo dar certo, mas algo aqui dentro não tá certo. acho que carrego essa coisa desde que nasci. esse suspirar pesado. todas as lágrimas derramadas em dias que deveriam ser só sorrisos. seres aquarianos são estranhos.
"Don't leave me here out on my own 
Don't you know how I hate to be alone"
pára o mundo que eu quero descer. agora!
eu acabei de nascer. há 23 anos atrás. e eu ainda nem sei o que eu tô fazendo aqui.

20 de jan de 2009

Carrego por dentro essa sensação exagerada de que não pertenço a mundo algum. trago bordado no peito o brasão dos desafinados, dos amadores verdadeiros. E fujo a cada promessa de amor.

15 de jan de 2009

hoje eu comprei aquele shampoo que era meu preferido antes de eu te conhecer: "para cabelos pretos" aí você voltou daquela viagem de férias e trouxe na mala um vidro cheio, seu novo tipo de shampoo que você fazia questão de dizer que era o cheiro do cabelo sua nova namoradinha. e eu sentia nojo cada vez que aquele cheiro saindo do seu cabelo entrava no meu nariz às duas da manhã, quando você silenciosamente vinha dormir abraçado comigo. por medo. carência. saudade. amor. mas hoje, depois de muito tempo eu consegui usar o tal shampoo sem sentir nojo, saudade, amor ou sem lembrar do seu sorriso e daquele teu cheiro que te acompanhava todo dia de manhã quando você cruzava o corredor indo pro seu quarto. hoje eu só consegui pensar em lavar o cabelo.

14 de jan de 2009

reescrevo a carta pela milésima vez. rasgo e depois quero colar tudo outra vez, só pra provar que eu não sou maluca. ou só pra provar que eu posso fazer isso sem ser maluca e nem me importo mais, já sabendo que mais uma vez você não vai me responder. então desisto das cartas. e de não parecer um pouco maluquinha pra você. apenas desisto.

11 de jan de 2009

tenho a impressão de que domingos chuvosos são os meus preferidos. fico ali deitada, com um frio gostoso subindo pelas pernas magras e com tanta vontade de que o viver fosse só assim: ficar enrolada no edredom enquanto o mundo lá fora enlouquece, mas pra isso você teria que estar aqui comigo. e parece que cada dia a mais é um dia a menos e faço preces, porque no mundo em que eu existo, você não pode existir. e onde você existe esses domingos são reais. mas daí já prefiro levantar e enlouquecer com o mundo. afinal é domingo. e chove.

8 de jan de 2009

Quase
toda vez que eu quase corro eu quase torço o tornozelo, vem daí minha desconfiança que minhas pernas não são lá tão retas quanto deveriam. ou tão fortes. sei lá. é assim com a maior parte do corpo que se diz meu. é tudo sempre quase estranho ou quase bom. quando me apaixono, é sempre um quase- amor e quando termina é quase-morte. é sempre um quase céu a vida toda, mas não me dói mais tanto ser no quase. porque eu sou quase alguém de verdade.

5 de jan de 2009

"Então, de repente, sem pretender, respirou fundo e pensou que era bom viver. Mesmo que as partidas doessem, e que a cada dia fosse necessário adotar uma nova maneira de agir e de pensar, descobrindo-a inútil no dia seguinte - mesmo assim era bom viver. Não era fácil, nem agradável. Mas ainda assim era bom. Tinha quase certeza". porque tem dias que eu preciso muito do caio fernando abreu.

4 de jan de 2009

acordo ouvindo as mesmas músicas de dois dias atrás. e canto, canto e canto, mas sinto meu corpo cansado de todos esses dias. cabeça quase leve e cheia de água. ainda tenho tempo pra olhar as paredes amarelas e decidir pela milésima vez que daqui a pouco elas serão brancas, como que limpas, leves e receptivas. e na empolgação dos novos planos ainda sinto o cheiro de piscina que vem dos meus cabelos. quero levantar e fazer desse domingo, um domingo. com filme. pipoca. preguiça e café em boa companhia no fim de tarde.

1 de jan de 2009

' eu tô vivendo normalmente, daí vem você com seus detalhes e me mostra tudo,
e eu gosto,
mas me incomoda muito '