20 de out de 2009

eram três da manhã e o relógio não andava mais.
ficou parado ali até o dia amanhecer e eu entender que
eu não preciso encarar o mundo quando a dor do peito é
maior que meus pés número 37.
ir embora não é bonito. nem corajoso.
é a coisa mais covarde que alguém pode fazer quando ama.
e é mais covarde ainda pedir que o outro vá embora.
corajoso é ficar, mesmo que doa todo santo dia, mesmo
que a dúvida seja cruel e sangre todo dia às cinco da tarde.
eu não quero mais ir embora.
quero quebrar a testa mil vezes na parede da sua casa. quero
morrer abraçada todo fim de noite.
e quero nascer pela manhã achando que isso faz parte da vida
e que assim eu sou mais feliz.

14 comentários:

little dreamer disse...

Menina! sou tua fã. FATO!
amo tudo aqui *-*

Cristina Santos disse...

Nossa que lindo... super lindo mesmo... adoro...

Samuel Quintans disse...

Olá Diana!

hoje é aniversário do meu blog! Dê uma conferidinha aqui! Faça uma visitinha!
Será muito bom tê-la comemorando conosco!

http://sempreacontecendo.blogspot.com/2009/10/primeiro-ano-do-blog-tudo-que-acontece.html

Beijokas e pipokas

Samuka

Caio Cesar de Aquino disse...

Esse contraste passional que enfrentamos, acredito que faz parte de um processo de aperfeiçoamento pessoal e sentimental.

Claro. Ir embora é covardia, assim como ficar em dúvida é contraditório. mas o fato é que tantos questionamentos aprimoram sua forma de pensar e agir diante de novas situações similares ou não.

Afinal, no fundo herdamos dos pertugueses uma boa dosagem de lirismo, o que nos amolece o coração gerando essas dúvidas e desejos.

Kisses :)

Lu Olhosde Mar disse...

é... mto lindo isso, e triste.

Jacoink disse...

Menina! sou tua fã. FATO!
amo tudo aqui *-* [2]

Morganna disse...

tua pessoa maria, mesmo que doa maria.

Marcelo Mayer disse...

obrigado pela visita em meu blog!
mesmo!

vc escreve calmamente muito bem.
muita gente se vê neste texto, pelo maldito cotidiano

bjs

Anônimo disse...

prazer covarde.

www.velhochapado.blogspot.com

Marianna disse...

também calço 37

Kuriozza disse...

Isso é o que os outros não entendem quando se trata de amor, né? Hoje é tudo tão banal, fast food, coisas assim. Ninguém quer quebrar a cabeça para ser feliz.

Gosto demais dos seus textos.

D. Q. M. disse...

Eis uma romântica. Raridade.
Uma coisa eu e todos que acompanham o blog concordamos: "Que bom que voçê escreve"

Lu disse...

Adorei!
Me vi nesse texto há dois anos atrás...quebrando a cara todos os dias, não desisti do amor, desfrutei-o até a última gota.
Já dizia Elis Regina:"Entre o muro e a espada, eu me atiro contra a espada"

Bom final de semana moça!

Beijos.

PS: Adoro os seus textos.

As Verdades Esquecidas disse...

quando foi pra amar, eu amei. e se é pra doer, que doa.