12 de set de 2009

Quando acordava no meio da noite com aquele aperto no coração, chegava a achar que aquilo era, na verdade, a certeza da morte desse sentimento tão bonito e chegava a sentir medo. Medo de que viver sem ele fosse pior que do que toda essa confusão-suspensão-da vida-no ar. Não sabia, era verdade, então travava uma luta com o sono pra que tudo isso sumisse. mas não sabia.