13 de set de 2009

jaboticabas por dentro dos olhos. e desejos imcompreendidos por debaixo da pele. sementes de jiriquiti guardadas na mão esquerda como um segredo meu. o coqueiro que chove e a luz da catedral que nunca apaga.

9 comentários:

Matheus N. disse...

que brisa leve foi ler isso.
adorei.. esse gosto de fruta ficou

:*

Késia Maximiano disse...

q doce, meu bem..
beijos

Bê Matos disse...

Coisa linda, Diana! :)

Deu até vontade de mergulhar nos olhos de jabuticaba, só para experimentar mais.

beijos, pra você. :*

leandro magalhães disse...

inigualavelmente desejavel (:
to indo comprar jabuticaba agora

Madame Morte disse...

E dentro da caixa toráxica, uma bola de carne, o pulso, a ignição pra toda dor que quer doer.

Luciano de Sálua disse...

...E eu por aí... Apaixonando-me por cada palavra sua. Sorte grande tirei ao tropeçar neste seu mundo escrito! Sorte Grande!

fabiano Silmes disse...

Um poema leve com o frescor de tarde amena.

Abraços!

(marta selva) disse...

completamente linda a vida por aqui.

adorei suas linhas.
;*

a primeira estrela disse...

menina,se eu te falar que as imagens passaram em minha mente,tu acreditas?
=) beijão