22 de mar de 2009

Sinto mais ou menos assim quase todo dia: Nada é normal do jeito que eu achava que seria. Nada nunca é. Já disse que somos seres idiotas demais? Natureza estúpida essa nossa: Tudo parece e merece estar bem e não está. Nunca está. Sempre a lacuna imprestável do amor, e que sem ele a gente chega a acreditar que tudo é nada. Ou quase nada.

4 comentários:

Morganna disse...

dia de chuva, hoje.

Felipe Attie disse...

Sem amor, tudo é nada...

Madame Morte disse...

Realmente,é difícil pra caralho pra quem opta seguir o coração.E tanats vontades e necessidades...e parece que é a única razão per qual existimos.Só sabemos precisar e desejar.E não conseguimos nada.Vazio enche mais que tudo.E dó demais.Com ou sem amor.

É uma merda ter certeza de que sozinhas as pessoas não vão à lugar algum...Deixa o verão pra mais tarde.

Bela disse...

Ah, o amor...
Mas eu prefiro assim.
Bjos.