21 de fev de 2009

tenha essa saudade já rouca de gritar por ti nos sonhos. e que eu não consigo mais ignorar. essa vontade de te contar as coisas que acontecem por agora. dos caminhos que decidi traçar num papel em branco e que tu adoraria rabiscar pra me deixar perdida, eu sei. ia te achar chato e ignorar teus enjôos, porque no final das contas gosto de te ouvir reclamar das minhas coisas imprevisíveis. sou assim, eu diria, mas no final das contas não era por isso que tu me amava?

10 comentários:

Fabi disse...

adoráveis defeitinhos :))

Helder Herik disse...

Os caminhos que decidi traçar num papel em branco

gostei

bom vir por aqui

Aspásia Mariana disse...

ain...tu me arranca suspiros.




sempre!

Madame Morte disse...

Talvez não.Ele se ama(va) mais.Isso sim com certeza.Os defeitos e imperfeições nos fazem sorrir e sentir o oposto do amor.O oposto da satisfação de estar com alguém que te faz bem.E essa sensação só nos mostra o quanto preferimos infinitamente nós mesmos.

Madame Morte disse...

Vixe.Eu tou ficando tão seco que acabo parecendo grosso e mais escroto do que realmente sou>.<

Desculpa,Diana,non escrevi com raiva não^^


>.<

Download Winamp Skin disse...

Very nice!

Sal Troccoli disse...

Um lindo poema, eu adoro o ritmo lento da palavra para chegar lá, onde vive o amor.

Um belo trabalho, os meus aplausos de longe e até sempre.

gabi disse...

puxa, que lindo. :)

Felipe Attie disse...

Os motivos que fazem as pessoas nos amarem têm o talento de se tornarem rançosos.

Bela disse...

Adoro seus textos, me identifico.
Bjos.