26 de fev de 2009

têm sido estranho não me reconhecer nas coisas que escrevo. se paro de escrever é como se alguma coisa faltasse, entre os copos de café, uma frase bem dita, um olhar diferente, alguma coisa falta. e se não é escrito, falta mais, porque minha memória já não é a mesma. os anos, as decepções, a memória seletiva, tudo isso não me deixa guardar certas coisas. enquanto isso muitos besouros voam sobre a minha cabeça.

14 comentários:

Madame Morte disse...

E ao mesmo passo que você cada vez mais se torna menos você,você está virando outro alguém.Encare como algo bom se o self de antes non era tão legal assim.

^^

Sem escrever é bem difícil mesmo.Coisa de quem não tem muito com quem conversar,ou de quem não consegue ser sincero ou se abrir por inteiro com pessoas.

Bela disse...

Escreva, moça, escreva, o que lhe falta o que não lhe falta, simplesmente escreva, deixe vagar na rede, para alguns, para si, para todos.
Bjos.

Cleyton disse...

então escreva gatona. elo menos eu e um zilhão de gente gosta. bju

Afobório. disse...

olá.

acho que nunca se é o mesmo, vejo que os instantes mudam tudo que pensamos, sentimos ou experimentamos.

acho que a falência do corpo liberta a mente e solta o espírito, e se é certa essa estória de que dentro de cada um vive dois cães lutando, um bom e um ruim, onde ora vence um ora vence o outro, é melhor que a gente mude sempre.

gostei do texto.

sorte e luz.

Davi disse...

fluência pessoal realista. sei que agradável não é bem o termo, mas agrada sim. E sempre gostei de textos que falem sobre o proprio escrever, como nos sentimos, essa nossa relaçao com o próprio ato de imprimir-mo-nos em simbolos graficos.

perdão pelo trocadilho, mas está 'optimo'.

Beijos.

Kuriozza disse...

Também tenho me desencontrado comigo mesma em tantos momentos que fica até difícil entender quem é a dona das minhas próprias palavras.

ps: Eu também não sai pra folia. A chuva que caiu por aqui na 'nossa' cidade deixou a cama irresistível =)

E-Blogue.com disse...

Olá Diana!

Somos o E-Blogue.com, um zine semanal, virtual e bastante cara de pau, que busca reunir, em um único lugar, as melhores produções da web.
Gostaríamos muito de publicar alguns dos textos do seu blogue em nossa próxima edição.
Se interessar, por favor, entre em contato pelo e-mail atendimento@e-blogue.com.

Um grande abraço e parabéns pelo blogue!

gabi disse...

me sinto assim igual, totalmente idêntica.

Aspásia Mariana disse...

minha memória desde sempre, e não foi escolha minha, tem sido seletiva.
e o café tem sido, sempre grande companhia.

Maria Fernanda disse...

Antes pudéssemos guardar toda a vida em um potinho de mel.

A que parou para pensar ; disse...

minha memória é pior que a sua, tenho certeza. adoro escrever, mas normalmente só me veem frases e textos quando não tenho papel e caneta ao acalnce, isso me mata. e não se reconhecer nos textos pode ser bom, sinal que está mudando, assim como o mundo, em constante mudança. beijos

doloridocolorido disse...

borboletas me escapam por entre os cabelos...

Victor Borba disse...

Gostei muito daqui, pretendo voltar mais vezes.

Beijo.

Mary disse...

o álcool...
bom blog!