16 de fev de 2009

quando soube que o adeus era inevitável um arrepio me subiu pela espinha. engoli seco e respirei fundo, prevendo lágrimas. a partir daí qualquer coisa seria uma despedida. da música no fone de ouvido ao olhar das pessoas na rua. e era dificil até cruzar meu olhar com o teu. medo. de olhar e sentir falta antecipada. de sentir náusea diante de tamanha beleza e do sentimento que carrego e já não quero mais carregar, não consigo mais. daí quero achar que tá tudo certo e não consigo porque de todas as músicas do mundo o homem vai cantar logo aquela, aquela da última despedida, aquela das lágrimas mais ácidas e mais doloridas. aquela. pra quê né? entre o não conseguir acreditar e qualquer outra coisa, eu fiquei com qualquer outra coisa que era congelar na cadeira e quebrar em micropedacinhos tentando imaginar o que estava passando no corpo ao lado. que lembranças essa música te traz? o que te faz sentir? pra mim nem sei mais. era vontade de sair correndo e voar.
E eu soube que quem sempre vai embora sou eu.

17 comentários:

Madame Morte disse...

E a cada vez que vamos embora perdemos um pouco de nós mesmos.Talvez o remédio seja nem chegar pra não ter que ir embora.Continuar andando.Sem olhar pra trás.Nem pra frente.Eu ando olhando meus pés.Sempre tem gente que perde dinheiro,de vez enquando acho umas gratas moedas de 10 centavos.


Adorei o layout novo!

Felipe Attie disse...

Um dia você levanta. Sempre levanta... Gostei do blog. Vou acompanhá-la. Mas, confesso, que não entendi seu estilo de pontuação. Seria influiência do Sr. Saramago?

Boo disse...

eu também gostei do novo layout.
acho que estamos passando pela mesma coisa..

Davi disse...

"assim eu soube que quem vai embora sou eu".

Uma conclusão que dói muito.

.

Diana Valentina disse...

é. sempre vou antes do outro.

Fabi disse...

como diz a música:"amores imperfeitos são as flores da estação"

Fabi disse...

como diz a música:"amores imperfeitos são as flores da estação"

Kuriozza disse...

E não tem jeito que dê jeito. Adeus é sempre adeus.

Mitras disse...

Adeus é uma estação inevitável da vida, cada aproveita do jeito que lhe cabe, seja com lágrimas, com cigarro cerveja fone de ouvido.
escrevendo...
escrevendo a Deus adeus

Mitras disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mitras disse...

Gostei daqui também

Cristina Santos disse...

um adeus é sempre inevitável, mesmo que seja o adeus a nós mesmos, o adeus das coisas simples...
Beijos

Bela disse...

E como diz o Guilherme: "Adeus também foi feito pra se dizer".
Bjo.

Diana Valentina disse...

mas não devia.

Tyellë disse...

oii...tem presente para você no meu blog. bjus

Milena Fahel disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anna Flávia disse...

no fim eu também fico com a mesma impressão...

beijo.


e gostei da nova combinação de cores! =)