15 de fev de 2009

azul quase morto. era a cor daquela hora. amarelo brilhante quase morrendo também era a cor da única nuvem no céu de Domingo. era quase tudo muito hostil aqui por dentro, só por dentro. Era a saudade dela e dessa impossbilidade filhadaputa de vê-la crescer perto de mim. Jamais verei isso, minha imaginação não trabalha assim e essa dor que bate no meu coração e se espalha pelo sangue como veneno não vai acabar com esse dia azul e amarelo.

4 comentários:

Morganna disse...

eu sei de tua saudade e dessa impossibilidade filhadaputa.
domingos são cruéis.

Briza disse...

=/

Madame Morte disse...

não sei do que se trata...mas saudade destrói(Y)

:(

Por essas e outras que eu não me apego mais a nada nem ninguém.

Cleyton disse...

que fuerte! =/