15 de dez de 2008

o tempo escorre por entre meus poros e cabelos pra que no próximo amanhecer do dia esteja tudo limpo dentro de mim. É que também desejo mais. Muito mais.

Desejo terminar o que começo. E, se não, acordo incompleta como se precisasse procurar em outro lugar aquilo que não tive nos braços teus.

E esse outro lugar é dentro da minha própria cabeça.

3 comentários:

O Velho disse...

Oi, minha linda!

Saudades!

Lhe dediquei um prêmio lá no Velho!

Beijos!

;-)

Diana Valentina disse...

=)

Gabriela M. O. disse...

o tempo ruina minhas cartilagens, que dóem. pra que no fim da vida eu não levante para ver o dia lindo da janela.